terça-feira, 15 de maio de 2012

Creci quer garantir ética no mercado



Gazeta do Povo

Corretores precisam garantir vínculo com o conselho da profissão para que clientes possam recorrer ao órgão em caso de problemas na negociação



A organização que reúne imobiliárias e corretores de imóveis, no Paraná, é o Conselho Regional de Corretores de Imó­­veis (Creci). O trabalho do grupo é fiscalizar a ação desses profissionais e empresas para garantir que a negociação de imóveis seja clara e atrativa para as partes envolvidas. Por isso, é exigido o pagamento de uma anuidade, que garante os recursos do grupo e mantém os profissionais vinculados ao conselho.


“Estando em dia com o con­­selho, o profissional estará constantemente atualizado e a transação imobiliária é feita com maior segurança, porque quem vende também tem responsabilidade civil pelo acordo”, explica Edson Gonçalves, coordenador de fiscalização do Creci no estado. Ele defende que, com o aumento do número de compra e venda de imóveis e a facilitação do crédito, a necessidade de regulação da profissão de corretor é ainda mais relevante.
Crescimento
Bom momento da construção civil reflete no aumento do número de corretores. Veja a quantidade de corretores atuantes no Paraná de acordo com o ano.
2008 - 6.897
2009 - 7.541
2010 - 8.389
2011 - 9.943
2012 - 10.658

“O papel do corretor é agiracom zelo na publicidade, ser claro e franco com o cliente, além de, por exemplo, poder receber um sinal de negócio em nome do proprietário”, exem­­plifica. Para Gonçalves, outro fator relevante é que a transação fica mais segura. “O corretor vai precisar equilibrar bem as vontades do cliente e do vendedor e não poderá ser desigual nesse tratamento”, acrescenta.

O campo de atuação dos agentes fiscais é externo. Gonçalves explica que o Creci faz uma triagem de propagandas, folhetos, publicações de anúncios de imóveis em impressos e sites e os agentes confirmam se o imóvel anunciado está autorizado a ser vendido pela empresa. “Do contrário, poderia gerar uma situação de propaganda enganosa, que o único objetivo fos­­se levar o cliente até a empresa, na tentativa de vender outro produto que não aquele anunciado”, explica. Além disso, os agentes também fiscalizam placas e plantões de venda, para conferir se a credencial oferecida corresponde mesmo a um profissional ligado ao conselho.

A estimativa do Creci-PR é que entre 50 e 70% dos profissionais que atuam no mercado imobiliário estão em dia com o órgão. “A profissão está mais organizada e isso é bom para quem está no mercado. É a forma de preservar tanto quem vai comprar quanto quem via vender”, defende o presidente do conselho, Junior Pucci. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário