sexta-feira, 18 de maio de 2012

Dicas para comprar imóveis no feirão da casa própria

Se você planeja visitar o feirão nos próximos dias, confira as dicas para comprar a tão sonhada casa própria




Peter Galbraith/Stock.xchng

Uma dica é ficar sempre atento aos juros, que mudam conforme o valor do imóvel e do financiamento

São Paulo - Até o dia 10 de junho, a Caixa Econômica Federal (CEF) realiza o 8º Feirão da Casa Própria em 13 cidades de todo o Brasil. No evento, estarão à venda 430 mil imóveis, entre novos e usados. A grande vantagem do Feirão é a possibilidade de se realizar o processo de aquisição do imóvel num único espaço, uma vez que lá estarão imobiliárias, construtoras, incorporadoras, corretores, cartórios e agentes da Caixa, responsáveis por analisar e liberar o financiamento. Se você é uma das pessoas que planeja visitar o Feirão para comprar a tão sonhada casa própria, fique atenta às dicas:


1 Aproveite os feirões para comparar os preços dos imóveis e pesquisar as taxas de juros.

2 Fique atento aos juros, que mudam conforme o valor do imóvel e do financiamento - por isso é essencial consultar outros bancos, sem se esquecer de incluir na comparação as taxas administrativas e encargos cobrados por cada instituição financeira. Para facilitar, os bancos oferecem simuladores online e você pode fazer a pesquisa em casa para ir ao Feirão já munido de informações.

3 Por mais que as condições de compra encontradas no feirão sejam vantajosas, não deixe de fazer um bom planejamento, pois o financiamento vai comprometer a renda da família por muitos anos. “O ideal é que a prestação não comprometa mais de 30% da renda familiar e é bom ter cerca de 50% do valor do imóvel depositado em FGTS, poupança ou em aplicações”, orienta Marco Aurélio luz, presidente da AMSPA (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências).

4 Se estiver interessado em um imóvel novo ou em construção, certifique-se da idoneidade da construtora com o pedido do CNPJ e a consulta ao Procon. Também faça o levantamento da incorporação do imóvel - verifique se o engenheiro e arquiteto estão devidamente registrados no CREA; consulte o INSS; ações cível, trabalhista e criminal; débitos junto à prefeitura; situação do corretor junto ao Creci e memorial descritivo registrado. “Vale a pena pedir auxílio de um especialista para certificar-se sobre a qualidade dos produtos”, sugere Luz.

5 No caso do imóvel ser usado, é fundamental conhecer a residência e conversar com vizinhos para checar as condições do imóvel e da vizinhança (infraestrutura, segurança, iluminação etc.). Verifique a matrícula atualizada do imóvel no Cartório de Registro de Imóveis e solicite a cópia do projeto arquitetônico da edificação devidamente aprovada pela Prefeitura e, em tratando-se de imóvel em condomínio, a cópia da convenção. Cheque, também, se a imobiliária e/ou corretor que estiver intermediando a negociação está cadastrada no Creci.

6 Antes de fechar o negócio, peça ao banco uma projeção da primeira até a última prestação. Se o financiamento for realizado diretamente com a construtora, solicite a projeção de parcelas e uma simulação se a dívida for repassada para o banco.

7 Não aceite pagar nenhum valor além do que estiver estipulado em contrato. “Em muitas das situações, o futuro mutuário acaba pagando taxas abusivas como, a SATI e Corretagem sem saber da sua ilegalidade e depois quando vai atrás dos seus direitos tem dificuldade de comprovar o pagamento feito a parte”, alerta o especialista.

8 Guarde folders, anúncios, foto da maquete do estande e qualquer outro material de divulgação que sirva de respaldo, caso haja uma eventual propaganda enganosa ou uma promessa não cumprida.


 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário